sábado, 19 de abril de 2014

Professores mais comprometidos com a preservação do Cerrado

Projeto Semeando o Bioma Cerrado leva oficina de educação ambiental à escola de Santa Maria (DF) com sugestões para nova abordagem das disciplinas curriculares.

Brasília, 9/4/2014 – “Não tem como não acolher a proposta de preservação pelo conhecimento que está no projeto Semeando o Bioma Cerrado. Aqui, temos aluno que se acalma embaixo das árvores da escola quando em surto e esta reação é visível”, relata a diretora do Centro de Ensino Especial 01 localizado na cidade satélite de Santa Maria (DF), Cláudia de Fátima Borges. Os cerca de 80 professores da escola receberam, nesta quarta-feira, a oficina de educação ambiental do projeto que sugere nova abordagem na transmissão das disciplinas da grade curricular, focada no ambiente dos alunos, o Cerrado.
De acordo com o coordenador do projeto, Rozalvo Andrigueto, a degradação sofrida pelo bioma nos últimos 50 anos é maior do que a verificada na Mata Atlântica em mais de 500 anos de Brasil. “Nesta segunda fase do projeto Semeando o Bioma Cerrado, conscientizar professores sobre a necessidade de preservação da área é um dos grandes desafios”, assinala.

Deficiência e consciência - A média etária dos mais de 300 alunos do Centro de Ensino Especial de Santa Maria está entre sete e 21 anos, todos portadores de diferentes quadros de necessidades especiais, alguns com múltiplas deficiências no organismo. “Mas dentro dos limites que enfrentam nossos alunos também podem ser colaborativos na preservação. Eles têm consciência, o cognitivo da maioria está preservado. Eles compreendem e sabem a importância do meio ambiente”, descreve Cláudia. A diretora vislumbra a inserção de pontos apresentados na oficina da professora Rosângela Correa nos eixos temáticos da proposta pedagógica da escola.

O Centro possui um Parque Ecológico onde a professora Márcia Ehms de Abreu busca conscientizar alunos e professores sobre o compromisso ambiental de cada um. “A gente vai fazer o que vimos aqui. Contamos com a vontade efetiva da direção em quebrar a cultura de repetir e já conseguimos incluir educação ambiental na proposta pedagógica”, enfatiza ao destacar a importância da oficina ser oferecida na escola em Santa Maria. O que há em curso de formação acontece em Brasília, fica difícil participar, diz.


Márcia ressalta a proposta de educação voltada aos valores no projeto Semeando o Bioma Cerrado, que integra a Rede de Sementes do Cerrado e é patrocinado pela Petrobras. “O aluno especial tem um potencial enorme para esta proposta. Eles não estão aqui só para aprender ler e calcular, mas para aprenderem a ler a si próprios e o mundo em que vivem”, frisa a professora que está estudando fitoterapia e Etnobotânica e é carinhosamente chamada de “raizeira” pelos colegas. “A gente se cura aqui com as ervas do Parque Ecológico”, confirma a diretora referindo-se aos chazinhos de Márcia.

Ecologia humana - A antropóloga e professora da UnB, Rosângela Correa, apresentou aos professores sua linha de desenvolvimento da ecologia humana, onde salienta que a primeira casa que nos abriga é o corpo e em seguida o ambiente. Destaca, porém que “não somos donos da natureza, apenas fazemos parte dela”.

Durante a apresentação do DVD ABCerrado que inclui uma série de sugestões para serem aplicadas em salas de aula e até planos de aula com a realidade do Cerrado aplicada à alfabetização, matemática, física e nas atividades lúdicas, Cláudia frisa que entre os 3 R’s da preservação (Reciclar, Reutilizarar e Reduzir) é preciso associar o R de “recusar” o que nos faz mal. “O que apresentamos aqui são sugestões que serão adaptadas à realidade de cada professor e de cada escola, mas quando aplicadas em coletivo, sem resistência, mostram respostas gratificantes”, sublinha.

O projeto Semeando o Bioma Cerrado conta com a parceria da Associação dos Amigos da Floresta (AAF) na área de educação ambiental e, para a presidente Mery-Lucy Souza, é relevante levá-lo a um centro educacional para portadores de necessidades especiais, pois “não podemos falar em meio ambiente sem inclusão”.

Legislação - A introdução da educação ambiental na rotina dos processos pedagógicos tem princípios definidos na Política Nacional de Educação Ambiental, por meio da Lei nº 9795/99; na Política Distrital de Educação Ambiental, por meio da Lei nº 3233/06; nos Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN’s); na Carta da Terra e nas metas para o milênio estabelecidas pela ONU.

Cerrado - O Cerrado brasileiro é o segundo maior bioma do País com uma área de cerca de dois milhões de quilômetros quadrados (quase 205 mil campos de futebol) que envolve 11 estados da federação desde a região Norte até o estado do Paraná, na região Sul. Mas o bioma corre o risco de ficar restrito às unidades de conservação, terras indígenas e áreas impróprias à agricultura até 2030, se o ritmo atual de degradação continuar. Restam cerca de 45% dos dois milhões de quilômetros quadrados originais deste bioma onde pouco mais de 2,2% está protegido em unidades de conservação.

Projeto - Em dois anos, o Projeto Semeando o Bioma Cerrado deve: catalogar 3.600 árvores matrizes; demarcar 60 áreas de cerca de 10 hectares cada como área preservada; restaurar cinco hectares de áreas já degradadas; sensibilizar e capacitar tecnicamente 635 pessoas diretamente e 2.480 indiretamente para produzir mudas florestais nativas em condições ambientalmente corretas e economicamente sustentáveis. O projeto prevê ações para serem implementadas no Distrito Federal, em Goiás e no Mato Grosso.

Fonte: Semeando o Bioma Cerrado
 
 
CEPRO – Um Projeto de Cidadania, Educação e Cultura em Rio das Ostras.
Alameda Casimiro de Abreu, 292, Bairro Nova Esperança - centro
Rio das Ostras
Tel.: (22) 2771-8256 e Cel.:(22)9966-9436
E-mail: cepro.rj@gmail.com  
Twitter: http://www.twitter.com/CEPRO_RJ

Nenhum comentário: