quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

A festa foi um sucesso






A confraternização de Natal do CEPRO – Centro Cultural de Educação Popular de Rio das Ostras – foi um sucesso total.

O coral afinadíssimo, a ceia e distribuição de presentes... Ufa!
A alegria foi total e nós do CEPRO temos que agradecer a vocês, amigos e amigas, que fazem do CEPRO essa grande família.

Feliz Natal a todos e todas!!!


São os votos sinceros de:
Guilhermina Rocha; César Gomes; Peixoto; Jean; Rosilene; Fábio; Gabriela e Renata.

Para ver mais fotos da Festa acesse nosso perfil no Orkut:
Orkut do CEPRO.


CEPRO – Um projeto de cidadania, educação e cultura em Rio das Ostras


Avenida das Flores, nº 394 – Bairro Residencial Praia Âncora
Rio das Ostras – RJ
Telefone: (22) 2760-6238 / (22) 9834-7409
E-mail: cepro.rj@gmail.com
Twitter: http://www.twitter.com/CEPRO_RJ
Blog: http://cepro-rj.blogspot.com

10 mil acessos

10 MIL ACESSOS
Nós do CEPRO – Centro Cultural de Educação Popular de Rio das Ostras – temos o prazer de informar que nosso Blog, essa importante ferramenta de comunicação com nossos amigos e amigas, passou de 10 mil acessos.
É com grande satisfação que damos essa notícia. Entendemos que essa importante marca é fruto de nosso trabalho e do carinho de vocês.


CEPRO – Um projeto de cidadania, educação e cultura em Rio das Ostras


Avenida das Flores, nº 394 – Bairro Residencial Praia Âncora
Rio das Ostras – RJ
Telefone: (22) 2760-6238 / (22) 9834-7409
E-mail: cepro.rj@gmail.com
Twitter: http://www.twitter.com/CEPRO_RJ
Blog: http://cepro-rj.blogspot.com

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Festa de Natal do CEPRO




O CEPRO – Centro Cultural de Educação Popular de Rio das Ostras – convida para a Festa de Natal do CEPRO, a ser realizada na sede do CEPRO, às 19:00 horas, no dia 22 de dezembro de 2009, terça-feira.

Veja o endereço do CEPRO no fim da postagem.

CEPRO – Um projeto de cidadania, educação e cultura em Rio das Ostras


Avenida das Flores, nº 394 – Bairro Residencial Praia Âncora
Rio das Ostras – RJ
Telefone: (22) 2760-6238 / (22) 9834-7409

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

Um mundo melhor e mais justo para todos e todas



Embalados pelos sinos e a animação de mais um Natal que chega, este cenário traz uma nova expectativa para 2010. A partir de 1º de janeiro, uma nova conjuntura sinaliza que devemos analisar as últimas eleições como um termômetro político para a corrida à sucessão presidencial que já começou.
Reafirmamos que não será tão simples este processo. Para isso, precisamos garantir qualidade de vida e formação de qualidade para que o nosso povo não seja manipulado como já foi outrora. A popularidade do atual presidente Lula, com a marca de mais de 80%, traduz o reconhecimento do povo com o compromisso com uma pauta mais social.
O final de 2009 se aproxima e algumas reflexões são necessárias. Aproveito o momento de celebração do Natal onde nossos sentimentos de solidariedade ficam mais a flor da pele.
Neste sentido, percebemos que ainda precisamos mudar para melhorar a qualidade de vida do nosso povo. Isto quer dizer “precisamos sair da lama”. E para diminuir mais as desigualdades sociais, são necessárias políticas públicas efetivamente comprometidas com esta causa. Onde garantem serviços essenciais como educação, saúde, trabalho, moradia, saneamento, transporte, cultura, segurança etc. Nossa lista pode ser extensa, mas a precarização do nosso povo humilde é histórica.
Sumarizando as análises apresentadas, pode-se dizer que a dinâmica recente do Rio de Janeiro é bem ilustrativa de como as transformações decorrentes de articulação de economia brasileira ao processo de globalização vêm afetando as metrópoles da periferia. Como foi visto, a abertura, o ajuste, o abandono das políticas industrial e do desenvolvimento regional e as novas orientações do Estado vêm tendo impactos expressivos sobre a divisão inter-regional do trabalho, a organização de produção e as relações de trabalho, com efeitos bastante adversos sobre a dinâmica econômica e as condições sociais dessas grandes cidades.
Agravando dificuldades históricas de absorção de forças de trabalho, onde presenciamos a desestruturação no mercado de trabalho, com uma flexibilização da relação social e trabalhista e a queda de remuneração dos trabalhadores.
Os jovens são particularmente atingidos por essa situação. Como o sistema educacional não conseguiu tê-los e o mercado de trabalho não os incorpora, muitos deles abandonam a escola e permanecem sem ocupação, desfiliados dos papéis que lhes são socialmente atribuídos, os de estudantes ou de trabalhadores.
Neste sentido, o sentimento também presente é que o investimento e aperfeiçoamento para a nossa população é fundamental.
Sabemos que sempre serão demandas crescentes.
Não existe receita pronta e a participação popular é uma parceira importante. A pauta deve estar comprometida com os direitos humanos, com a participação social e a implementação efetiva de programas e ações sobre os interesses sociais, não mais do seu próprio bolso.
Desejamos mais avanços nas áreas sociais, econômicas, políticas e culturais em nosso país e em nossos municípios.
Desejamos uma Felizcidade para todos e todas!


Profª Guilhermina Rocha
Especialista em Educação e Historiadora
Presidente do CEPRO
Colunista do Jornal Razão – Rio das Ostras


CEPRO – Um projeto de cidadania, educação e cultura em Rio das Ostras


Avenida das Flores, nº 394 – Bairro Residencial Praia Âncora
Rio das Ostras – RJ
Telefone: (22) 2760-6238 / (22) 9834-7409

domingo, 13 de dezembro de 2009

Um Oceano de plástico




Durabilidade, estabilidade e resistência a desintegração. As propriedades que fazem do plástico um dos produtos com maiores aplicações e utilidades ao consumidor final, também o tornam um dos maiores vilões ambientais. São produzidos anualmente cerca de 100 milhões de toneladas de plástico e cerca de 10% deste total acabam nos oceanos, sendo que 80% desta fração vem de terra firme.
No oceano pacífico há uma enorme camada flutuante de plástico, que já é considerada a maior concentração de lixo do mundo, com cerca de 1000 km de extensão, vai da costa da Califórnia, atravessa o Havaí e chega a meio caminho do Japão e atinge uma profundidade de mais ou menos 10 metros . Acredita-se que haja neste vórtex de lixo cerca de 100 milhões de toneladas de plásticos de todos os tipos.
Pedaços de redes, garrafas, tampas, bolas , bonecas, patos de borracha, tênis, isqueiros, sacolas plásticas, caiaques, malas e todo exemplar possível de ser feito com plástico. Segundo seus descobridores, a mancha de lixo, ou sopa plástica tem quase duas vezes o tamanho dos Estados Unidos.
O oceanógrafo Curtis Ebbesmeyer, que pesquisa esta mancha há 15 anos compara este vórtex a uma entidade viva, um grande animal se movimentando livremente pelo pacifico. E quando passa perto do continente, você tem praias cobertas de lixo plástico de ponta a ponta.
A bolha plástica atualmente está em duas grandes áreas ligadas por uma parte estreita. Referem-se a elas como bolha oriental e bolha ocidental. Um marinheiro que navegou pela área no final dos anos 90 disse que ficou atordoado com a visão do oceano de lixo plástico a sua frente. "Como foi possível fazermos isso?" - "Naveguei por mais de uma semana sobre todo esse lixo".
Pesquisadores alertam para o fato de que toda peça plástica que foi manufaturada desde que descobrimos este material, e que não foram recicladas, ainda estão em algum lugar. E ainda há o problema das partículas decompostas deste plástico. Segundo dados de Curtis Ebbesmeyer, em algumas áreas do oceano pacifico podem se encontrar uma concentração de polímeros de até seis vezes mais do que o fitoplâncton, base da cadeia alimentar marinha.
Segundo PNUMA, o programa das nações unidas para o meio ambiente, este plástico é responsável pela morte de mais de um milhão de aves marinha todos os anos. Sem contar toda a outra fauna que vive nesta área, como tartarugas marinhas, tubarões, e centenas de espécies de peixes.
E para piorar essa sopa plástica pode funcionar como uma esponja, que concentraria todo tipo de poluentes persistentes, ou seja, qualquer animal que se alimentar nestas regiões estará ingerindo altos índices de venenos, que podem ser introduzidos, através da pesca, na cadeia alimentar humana, fechando-se o ciclo, na mais pura verdade de que o que fazemos à terra retorna à nós, seres humanos.


CEPRO – Um projeto de cidadania, educação e cultura em Rio das Ostras


Avenida das Flores, nº 394 – Bairro Residencial Praia Âncora
Rio das Ostras – RJ
Telefone: (22) 2760-6238 / (22) 9834-7409

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Continua a Utopia




No ensejo das comemorações, em 10 de dezembro, do dia Internacional dos Direitos Humanos, nos juntamos a todos (as) aqueles (as) que buscam a utopia por um outro mundo possível.
Proclamada pela Assembléia Geral da ONU, em dezembro de 1948, a Declaração estabelece direitos universais para todos os povos, independentemente de credo, gênero, raça ou etnia. Hoje, está disponível em 360 idiomas, sendo fonte para constituições de muitos Estados mundo afora.
Em um artigo inicial a Declaração reza: ”Todos os seres humanos nascem livres e iguais em dignidade e direitos”. Para os militantes dos direitos humanos, o maior desafio é passar da palavra escrita ao ato concreto. Enquanto isso não acontece, de fato, a Declaração não passará de boas intenções, no Brasil e no resto do mundo.
A impunidade é um grande estímulo à pratica delituosa por parte dos poderosos em todos os continentes, sendo ainda o grande desafio a ser enfrentado.
Outra falta é a violação dos direitos sociais, com a desregulamentação econômica que atinge os mais pobres e que empobrecem ainda mais nesta fase do capitalismo neoliberal.
A dívida social e cultural do país para com sua população mais pobre é grande e vem de longa data. Direitos humanos para esta parcela são uma enorme frustração.
Já durante a ditadura civil-militar, de 1964 até 1985, muitas violações ocorreram, como censura, exílio, tortura, morte e desaparecimentos. Com a Constituição de 1988 houve grandes avanços na defesa dos direitos, em particular com relação a criança e adolescente, mulheres, racismo, deficiência e tortura.
Agora, se dá ênfase ao enfrentamento da pobreza e da fome. No entanto, no Brasil, todo dia ainda é palco de alguma violação, em especial quanto a violência doméstica e sexual contra mulheres e crianças.
Para popularizar o conceito dos direitos humanos e cada um dos 30 artigos da Declaração Universal, a Secretaria Especial dos Direitos Humanos do Governo Federal está organizando um grande mutirão.
A iniciativa é dirigida a toda a sociedade brasileira, sem distinção. São diversas ações, materiais informativos e peças de divulgação que estarão disponíveis para que todos os segmentos sociais possam se engajar.
Como presidente do CEPRO – Centro Cultural de Educação Popular de Rio das Ostras –, que tem nos direitos humanos um dos seus pilares de atuação, venho me solidarizar com todos (as) aqueles (as) que mantêm a utopia por um mundo melhor, sem violência, sem discriminação e sem exclusão, de qualquer espécie.
Multiplique os direitos humanos, divulgue a declaração, contribua para que todos e todas conheçam e exijam seus direitos fundamentais.
A Declaração Universal dos Direitos Humanos prega a liberdade de expressão, de pensamento, a luta pela igualdade e o respeito a todos. Hoje, 60 anos depois, essa Declaração continua sendo escrita, a cada dia, pelas mãos de todos nós.
Este bem poderia ser o melhor presente para o Natal que se aproxima...


Profª Guilhermina Rocha
Especialista em Educação e Historiadora
Presidente do CEPRO
Colunista do Jornal Razão – Rio das Ostras


CEPRO – Um projeto de cidadania, educação e cultura em Rio das Ostras


Avenida das Flores, nº 394 – Bairro Residencial Praia Âncora
Rio das Ostras – RJ
Telefone: (22) 2760-6238 / (22) 9834-7409
E-mail: cepro.rj@gmail.com

sábado, 5 de dezembro de 2009

Churrasco dos Amigos - 13 de dezembro




O CEPRO (Centro Cultural de Educação Popular de Rio das Ostras) e a ARTI (Associação Riostrense dos Trabalhadores Informais) informam que em virtude da ocorrência de fortes chuvas nesta última sexta-feira, dia 04 de dezembro, e da previsão de chuva para o dia 05 de dezembro, o evento Churrasco dos Amigos foi adiado para o dia 13 de dezembro, domingo, a partir das 13:00 horas.

Neste churrasco beneficente, todos os recursos obtidos serão utilizados na manutenção de projetos das duas entidades.

O convite antecipado para o evento será de R$ 8,00 por pessoa, com direito a uma cartela de Bingo.

Telefones para contato da ARTI (22) 9213-0491 e CEPRO (22) 2760-6238.




CEPRO – Um projeto de cidadania, educação e cultura em Rio das Ostras


Avenida das Flores, nº 394 – Bairro Residencial Praia Âncora
Rio das Ostras – RJ
Telefone: (22) 2760-6238 / (22) 9834-7409

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Do Lixo ao Luxo. Alunos da UVA entrevistam o CEPRO.

Alunos da Universidade Veiga de Almeida elaboram trabalho sobre reaproveitamento do lixo, que pode até mesmo ser usado como mobiliário de luxo, com baixo custo e menores danos possíveis ao Meio Ambiente.

A natureza agradece e o CEPRO parabeniza os alunos e alunas envolvidos no projeto.
Ressaltamos que foi emocionante ter membros de nossa entidade entre os entrevistados que contribuíram para este brilhante projeto. Do Lixo ao Luxo.


Parabéns!
Fernanda Caetano
Flávia Martins
Gláucia Rodrigues
Guilherme Zattar
Leir Oliveira
Lincon Leal
Maicon Pacheco
Thábata Lemos


CEPRO – Um projeto de cidadania, educação e cultura em Rio das Ostras


Avenida das Flores, nº 394 – Bairro Residencial Praia Âncora
Rio das Ostras – RJ
Telefone: (22) 2760-6238 / (22) 9834-7409

2º Encontro Cultural da Consciência Negra no CEPRO



A presidente do CEPRO – Centro Cultural de Educação Popular de Rio das Ostras, Professora Guilhermina Rocha, foi homenageada com o Diploma Zumbi dos Palmares concedido pela Comissão de Combate às Discriminações e Preconceitos de Raça, Cor, Etnia, Religião e Procedência Nacional da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (ALERJ).

O CEPRO tem o prazer de convidar para o 2º Encontro Cultural da Consciência Negra, que tem como uma das atrações principais: a apresentação do Diploma Zumbi dos Palmares.
Outras atividades completarão este importante encontro cultural.

Data do evento: Dia 04 de dezembro, às 20:00 horas.
Local: Sede do CEPRO.


CEPRO – Um projeto de cidadania, educação e cultura em Rio das Ostras


Avenida das Flores, nº 394 – Bairro Residencial Praia Âncora
Rio das Ostras – RJ
Telefone: (22) 2760-6238 / (22) 9834-7409

Dia Internacional do Voluntariado - Dia 05 de dezembro





No dia 05 de dezembro é comemorado o Dia Internacional do Voluntariado, que foi instituído em 1985 pela Organização das Nações Unidas (ONU). O objetivo da ONU era promover ações de voluntariado em todas as esferas da sociedade em vários lugares do mundo.

As ações de um voluntário extrapolam a definição comum do termo, de acordo com os dicionários mais usuais a palavra “voluntário” significa “aquele que age por vontade própria”. Complementar a isso, a própria ONU ressignificou a definição desta palavra, portanto, “o voluntário é o jovem ou o adulto que, devido a seu interesse pessoal e ao seu espírito cívico, dedica parte do seu tempo, sem remuneração alguma, a diversas formas de atividades, organizadas ou não, de bem estar social ou outros campos”.
Após o ano 2000, foram estabelecidos os 8 Objetivos do Milênio no que diz respeito ao voluntariado. Listamos as principais áreas de trabalho voluntário a serem estimuladas, com o intuito de solucionar definitivamente os problemas.

1. Erradicar a extrema pobreza e a fome.
2. Atingir o ensino básico universal.
3. Promover a igualdade entre os sexos e a autonomia das mulheres.
4. Reduzir a mortalidade infantil.
5. Melhorar a saúde materna.
6. Combater o HIV/AIDS, a malária e outras doenças.
7. Garantir a sustentabilidade ambiental.
8. Estabelecer uma Parceria Mundial para o Desenvolvimento.

O CEPRO – Centro Cultural de Educação Popular de Rio das Ostras – como um de seus pilares a ação voluntária. Nossos diretores atuam de forma voluntária em projetos de grande relevância cultural, ambiental e social. Acreditamos que aquela velha máxima ainda pode ter sua verdade: “Se cada um fizer a sua parte...”
Parabéns a todos vocês, voluntários, que fazem a sua parte em nosso projeto de cidadania.


CEPRO – Um projeto de cidadania, educação e cultura em Rio das Ostras


Avenida das Flores, nº 394 – Bairro Residencial Praia Âncora
Rio das Ostras – RJ
Telefone: (22) 2760-6238 / (22) 9834-7409
E-mail: cepro.rj@gmail.com

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Artigo do Jornal Razão: Lei Maria da Penha ameaçada


A maior conquista das mulheres contra a violência doméstica, a Lei Maria da Penha, está ameaçada. Encontra-se em tramitação no Senado a reforma do Código de Processo Penal que pode extinguir garantias conquistadas, como por exemplo, a prisão em flagrante do agressor.
Para os movimentos sociais, feministas e dos direitos humanos, esta medida é um retrocesso ao que nosso país vem estabelecendo sobre as políticas públicas.
No Brasil, a partir das iniciativas voltadas para a luta e defesa dos direitos das mulheres, notamos um avanço no reconhecimento do problema da violência contra as mulheres. Identificamos na criação da Secretaria Nacional de Políticas para as Mulheres, com status de Ministério, um desses avanços, além da Lei Maria da Penha.
No entanto, podemos chamar a atenção quanto a alguns aspectos, como a produção do conhecimento sobre o tema, a formulação de programas e a criação de instituições voltadas para o atendimento nessa área.
A violência contra mulheres e meninas incluiu situações de agressões físicas, sexuais, psicológicas e econômicas.
Em relação às demandas do movimento de mulheres, pode-se dizer que a Constituição estaria em compasso com os tratados internacionais de direitos humanos, estabelecendo dispositivos que contemplam o tema de igualdade de gênero, violência doméstica e sexual contra mulheres, crianças e adolescentes.
A reforma do Código Penal ganhou a resistência de magistrados, da ministra Nilceia Freire e de entidades de defesa da mulher. Em nosso estado, a deputada estadual Inês Pandeló, presidente da Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (ALERJ), vem realizando uma série de Audiências Públicas que tem como finalidade chamar a atenção do estado do Rio de Janeiro, sobre a possibilidade desta alteração. E no Senado Federal, a senadora Serys Slhessarenko elaborou emendas para proteger a lei.
Acabar com a Lei Maria da Penha significaria transferir para os Juizados Especiais a decisão sobre os crimes como lesão corporal e ofensa à honra.
Segundo a Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres, o Serviço Ligue 180, central de atendimento deste órgão, registrou 791.407 chamadas de abril de 2006 a outubro deste ano. Nesse período, o aumento do número de registros foi de 1704%. Assim podemos dizer que a Lei Maria da Penha contribuiu para esse aumento, estatisticamente falando.
Por fim, a Lei Maria da Penha é uma consequência mais imediata dessa necessidade e é de extrema importância para garantir esse mecanismo de direitos e ações de políticas públicas para as mulheres.
Algumas propostas podem ser pertinentes ao tema:
• Do ponto de vista da prevenção: atuação na área de educação e capacitação de professores para o trabalho com os direitos humanos, resolução de conflitos e identidade masculina e feminina;
• Na detecção: desenvolvimento de pesquisas qualitativas e quantitativas, estimuladas através de pesquisadores locais e de parcerias com núcleos, organizações sociais e universidades.
• Na atenção: Incluir os recursos necessários para os serviços nos orçamentos de ministérios e secretarias estaduais e municipais, criar conselhos gestores para os centros de referência, abrigos e Delegacias Especializadas de Atenção a Mulher (DEAMS) etc.


Profª Guilhermina Rocha
Especialista em Educação e Historiadora
Presidente do CEPRO
Colunista do Jornal Razão – Rio das Ostras


CEPRO – Um projeto de cidadania, educação e cultura em Rio das Ostras


Avenida das Flores, nº 394 – Bairro Residencial Praia Âncora
Rio das Ostras – RJ
Telefone: (22) 2760-6238 / (22) 9834-7409

Dia Nacional do Samba - 02 de dezembro




No dia 02 de dezembro é comemorado o Dia Nacional do Samba. A data comemorativa foi instituída em 1963. O Dia do Samba é motivo de programação especial em todo o país. A escolha do dia 2 de dezembro possui diversas versões. Em uma delas, alguns historiadores contam que o dia foi escolhido em homenagem à primeira visita de Ary Barroso à Bahia.
No Berço do samba, o Rio de Janeiro, artistas consagrados e as principais escolas de samba do Rio fazem parte de uma extensa programação que pretende fazer a alegria de sambistas e apaixonados pelo ritmo mais brasileiro de todos.
Locais históricos para o samba, como os bairros cariocas da Lapa, Irajá e Oswaldo Cruz, serão prestigiados neste Dia do Samba.
A grande atração do Dia do Samba é sem dúvida, o Trem do Samba, o evento, em sua 14ª edição, foi idealizado pelo cantor e compositor Marquinhos de Oswaldo Cruz. A composição que sai da Estação Central do Brasil vai em seu trajeto tocando sambas consagrados até o seu destino, que é a Estação Oswaldo Cruz, onde palcos montados em ambas as saídas da estação esperam os sambistas.
Para ter acesso a programação clique aqui.


CEPRO – Um projeto de cidadania, educação e cultura em Rio das Ostras


Avenida das Flores, nº 394 – Bairro Residencial Praia Âncora
Rio das Ostras – RJ
Telefone: (22) 2760-6238 / (22) 9834-7409

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Paulo Freire é anistiado 45 anos após exílio




A Comissão de Anistia do Ministério da Justiça concedeu no dia 26 de novembro a anistia política/post mortem ao educador Paulo Freire, falecido em 1997. A cerimônia ocorreu durante o Fórum Mundial de Educação Profissional e Tecnológica que contou com 3 mil professores e educadores de todas as regiões do Brasil e de outros 22 países, no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, em Brasília.

“Hoje, Paulo, você pode descansar em paz. Sua cidadania plena, sem vazios e sem lacunas, foi restaurada, como você queria, e proclamada, como você merece”, disse a viúva de Paulo, Ana Maria Araújo Freire.
A homenagem ao pernambucano que revolucionou as técnicas de ensino em todo o mundo foi marcada pela emoção. O presidente da Comissão de Anistia, Paulo Abrão, disse que o pedido de desculpas em nome do Estado brasileiro também era direcionado aos milhões de brasileiros e brasileiras que deixaram de ser alfabetizados e emancipados por Freire. A extinção do Plano Nacional de Alfabetização, que levaria o “método Paulo Freire” a todo o país, foi um dos primeiros atos do regime autoritário, após o golpe de 1964.
O educador pernambucano foi afastado da coordenação do Plano Nacional, instituído meses antes pelo MEC, e aposentado compulsoriamente da cadeira de professor de História e Filosofia da Universidade Federal de Pernambuco. Após ser preso por 70 dias em uma cadeia de Olinda (PE), partiu para o exílio, retornando ao Brasil somente em 1980.
Em razão da perseguição política que resultou em 16 anos de exílio, a Comissão de Anistia concedeu indenização de R$ 100 mil – teto da prestação única, que prevê 30 salários mínimos para cada ano de perseguição comprovada.

Fonte: Sítio Brasil de Fato. Acesse em http://www.brasildefato.com.br/v01/agencia


CEPRO – Um projeto de cidadania, educação e cultura em Rio das Ostras


Avenida das Flores, nº 394 – Bairro Residencial Praia Âncora
Rio das Ostras – RJ
Telefone: (22) 2760-6238 / (22) 9834-7409

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Dia Mundial de combate à AIDS




O dia 1º de dezembro foi escolhido como Dia Mundial de combate à AIDS, com o objetivo de conscientizar o mundo sobre a importância dos cuidados preventivos e ações positivas em relação à luta contra essa doença. A data em questão vigora no calendário de milhares países ao redor do mundo desde o final dos anos 1980.

Em última estimativa da Organização Mundial de Saúde (OMS), até o final de 2007, mais de 30 milhões de pessoas conviviam com o vírus do HIV. Segundo os mesmos dados, diariamente, surgem 7.500 novos casos da doença.
Somente no Brasil, até o mesmo ano de 2007, em registros que remontam a 1980, cerca de 470 mil casos tenham sido registrados por orgãos oficiais, entre eles o Ministério da Saúde (MS).
A AIDS (sigla em inglês para Acquired Immune Deficiency Syndrome ou Síndrome da Imunodeficiência Adquirida) é uma doença que se manifesta após a infecção do organismo pelo Vírus da Imunodeficiência Humana, mais conhecido pela sigla em inglês HIV.
Sua transmissão ocorre por meio do contato com sangue, sêmen, secreção vaginal ou leite materno da pessoa infectada. Ressaltamos que o suor, a lágrima, o beijo no rosto ou na boca e o uso comum de sabonetes, toalhas, copos ou talhares, entre outros, não transmitem a doença.
Em 1996, o governo federal passou a distribuir gratuitamente os medicamentos necessários ao tratamento da AIDS, o que promoveu um aumento na sobrevida e uma melhora na qualidade de vida dos pacientes portadores do HIV. Atualmente, cerca de 180 mil pessoas recebem tratamento de AIDS fornecido pelo MS, distribuído gratuitamente na rede pública de saúde.
Embora os sintomas iniciais da doença sejam semelhantes (febre persistente, calafrios, dor de cabeça, dor de garganta, dores musculares, manchas na pele, gânglios ou ínguas embaixo do braço, no pescoço ou na virilha), ela não se manifesta da mesma forma em todas as pessoas. Com a evolução da doença, o sistema imunológico do indivíduo começa a ceder, favorecendo o surgimento de doenças oportunistas, como: tuberculose, pneumonia, alguns tipos de câncer, candidíase e infecções do sistema nervoso (toxoplasmose e meningite, sendo as mais comuns).
O diagnóstico da infecção pelo HIV é feito por meio de testes, realizados a partir da coleta de uma amostra de sangue. Esses testes podem ser realizados nos laboratórios de saúde pública, em unidades básicas de saúde ou em Centros de Testagem e Aconselhamento (CTA), onde o teste anti-HIV pode ser feito de forma anônima e gratuita. Nesses CTAs, além da coleta e da execução dos testes, há um processo de aconselhamento, antes e depois do teste, feito de forma cuidadosa, a fim de facilitar a correta interpretação do resultado pelo paciente.
Todos os testes devem ser realizados de acordo com a norma definida pelo MS e com produtos registrados na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA/MS) e por ela controlados.
A prevenção é o melhor remédio contra essa doença:
• Use preservativos. Eles podem ser adquiridos gratuitamente em postos de saúde.
• Não compartilhe agulhas e seringas. Ou melhor, não use drogas.
• Exija materiais descartáveis em clínicas e consultórios médicos e odontológicos.

Uma extensa agenda de eventos foi programada para relembrar esta data tão importante.
• No dia 24 de novembro foi lançado o sítio "Todos Contra a AIDS", totalmente interativo com vídeos exclusivos, com possibilidade de postagens de vídeos e fotos de usuários do sítio. Acesse www.todoscontraopreconceito.com.br.
• No dia 26 de novembro foi o dia do lançamento do Boletim Epidemiológico, na Plenária do Conselho Nacional de Saúde, no Ministério da Saúde, na capital federal, Brasília/DF. A cerimônia foi transmitida ao vivo pela internet, no sítio www.aids.gov.br.
• Neste domingo foi exibido no programa dominical da Rede Globo, Fantástico, o curta-metragem “O Beijo”, filme de um minuto que mostra os bastidores da ação desenvolvida pelo MS, CRT de São Paulo e Secretaria de Saúde de Guarulhos com 1.200 pessoas que vivem e convivem com HIV de São Paulo e com o artista plástico Vik Muniz. A partir de hoje, dia 30, o vídeo estará disponível no youtube e no sítio: www.todoscontraopreconceito.com.br.
• Amanhã, será a vez do lançamento da campanha do Dia Mundial 2009 "Viver com AIDS é possível. Com preconceito não", às 10:00 horas, no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), também na capital federal.
• No mesmo dia, à noite, será exibido o filme “Casal”, no intervalo do Jornal Nacional. O vídeo de 30 segundos é protagonizado por um jovem soropositivo.


CEPRO – Um projeto de cidadania, educação e cultura em Rio das Ostras

Avenida das Flores, nº 394 – Bairro Residencial Praia Âncora
Rio das Ostras – RJ
Telefone: (22) 2760-6238 / (22) 9834-7409

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Nova literatura africana




O CEPRO – Centro Cultural de Educação Popular de Rio das Ostras - informa que a Fundação Biblioteca Nacional convida para o projeto “A nova literatura africana” com o escritor angolano José Eduardo Agualusa, autor de “Nação Crioula” e “O ano que Zumbi tomou o Rio”.
O evento ocorrerá nesta segunda-feira, dia 30 de novembro, às 14:00 horas, no Auditório Machado de Assis.
O endereço da Biblioteca Nacional é Rua México, s/nº Centro – Rio de Janeiro – RJ.


CEPRO – Centro Cultural de Educação Popular de Rio das Ostras
Um projeto de cidadania, educação e cultura em Rio das Ostras


Avenida das Flores, nº 394 – Bairro Residencial Praia Âncora
Rio das Ostras – RJ
Telefone: (22) 2760-6238 / (22) 9834-7409

Home: O mundo é a nossa casa





O CEPRO – Centro Cultural de Educação Popular de Rio das Ostras – tem o prazer de informar que nesta quinta-feira, dia 26 de novembro, às 18:30 horas, ONG Defensores da Terra exibirá o filme “Home”, em uma das apresentações do projeto Cine Ambiental.

O endereço dos Defensores da Terra é Rua Senador Dantas, 84 sala 1211 – Centro – Rio de Janeiro – RJ.
Mais informações nos telefones: (21) 2524 5809 e (21) 2524 7931.
O filme “Home: O mundo é a nossa casa” narra como a vida na Terra foi constituída ao longo de bilhões de anos, mas como em poucas décadas o equilíbrio foi rompido pelas ações humanas. “Home” é um grito de alerta sobre as ameaças à vida na Terra, apresentado sob a forma de belíssimas imagens, em alta definição, de mais de 50 países. Apesar das fortes advertências sobre os riscos globais, o longa-metragem, produzido por Luc Besson, tem mensagem otimista, centrada na possibilidade de ações coletivas e na mudança de estilos de vida.


CEPRO – Centro Cultural de Educação Popular de Rio das Ostras
Um projeto de cidadania, educação e cultura em Rio das Ostras


Avenida das Flores, nº 394 – Bairro Residencial Praia Âncora
Rio das Ostras – RJ
Telefone: (22) 2760-6238 / (22) 9834-7409

terça-feira, 24 de novembro de 2009

Diploma Zumbi dos Palmares 2009





Nesta terça-feira, dia 24 de novembro, a Professora Guilhermina Rocha foi homenageada com o Diploma Zumbi dos Palmares concedido pela Comissão de Combate às Discriminações e Preconceitos de Raça, Cor, Etnia, Religião e Procedência Nacional da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (ALERJ). A diplomação ocorreu em meio as festividades da Agenda ZUMBI 2009, que tem por objetivo fazer do mês de novembro, um período de referência em torno da luta contra a discriminação racial que sofrem as populações negras no Rio de Janeiro.

A professora Guilhermina recebeu o diploma das mãos das deputadas Beatriz Santos e Inês Pandeló, respectivamente, presidente e vice-presidente da já citada Comissão. A indicação da Professora para tal homenagem partiu da própria deputada Inês Pandeló e vem coroar as ações contundentes de sua trajetória no movimento negro.
O CEPRO – Centro Cultural de Educação Popular de Rio das Ostras – marcou presença nesta importante homenagem. Instituições de Rio das Ostras como a ARTI (Associação Riostrense de Trabalhadores Informais), o SINDSERV (Sindicato dos Servidores de Rio das Ostras) e o SEPE-RO (Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação – Núcleo Rio das Ostras) também marcaram presença.
Não podemos deixar de registrar que a maior comenda de nosso estado, o Título de Cidadã do Estado do Rio de Janeiro, foi concedida à brilhante atriz Chica Xavier.

Viva Zumbi. Viva o Dia Nacional da Consciência Negra! Parabéns a Professora Guilhermina Rocha!


CEPRO – Centro Cultural de Educação Popular de Rio das Ostras
Um projeto de cidadania, educação e cultura em Rio das Ostras


Avenida das Flores, nº 394 – Bairro Residencial Praia Âncora
Rio das Ostras – RJ
Telefone: (22) 2760-6238 / (22) 9834-7409

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Professora Guilhermina Rocha recebe o Diploma Zumbi dos Palmares na ALERJ




O CEPRO - Centro Cultural de Educação Popular de Rio das Ostras - tem o prazer de convidar para Sessão Solene na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (ALERJ) onde serão entregues o Diploma Zumbi dos Palmares a diversas personalidades e a Presidente desta Entidade, a Professora Guilhermina Rocha.
Tal prêmio referenda as ações de seus contemplados na luta pelo fim de qualquer tipo de discriminação seja ela de raça, cor, etnia, religião e procedência nacional.

A Sessão será realizada no plenário Barbosa Lima Sobrinho e terá início as 09:00 horas do dia 24 de novembro.
A ALERJ fica no Palácio Tiradentes, Rua Primeiro de Março, Praça XV - Centro - Rio de Janeiro.


Parabéns a Professora Guilhermina Rocha.

CEPRO – Centro Cultural de Educação Popular de Rio das Ostras

Um projeto de cidadania, educação e cultura em Rio das Ostras

Avenida das Flores, nº 394 – Bairro Residencial Praia Âncora
Rio das Ostras – RJ
Telefone: (22) 2760-6238 / (22) 9834-7409

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Desafios e perspectivas para a superação da discriminação racial e do racismo





Ao longo de nossa existência, cada vez mais as sociedades se deparam com a importância decisiva do desenvolvimento educacional para a sua plena integração no mundo contemporâneo, e o nosso País tem sido por demais deficiente quanto ao atendimento desta questão fundamental.

É urgente agir no sentido de aperfeiçoar a infra-estrutura das redes públicas de ensino, bem como equipamentos, a valorização do papel dos educadores e garantir-lhes oportunidades de ampliar e trazer mais consistência à sua formação.
Se mesmo em relação a estes problemas cruciais, em que há amplo consenso nos diagnósticos, são tão lentas e problemáticas as ações, fácil é imaginar a apreciação dos diferentes agentes educacionais aos reclames de mais atenção em áreas específicas de conhecimento e de procedimentos pedagógicos.
A Lei 10.639/03: o que ainda falta para a sua efetiva implementação?(*) A referência aqui é justamente aos obstáculos e desafios que se apresentam para a implementação do artigo 26-A (Lei 10.639/2003), da LDBEN (Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional), seja em função do lapso de pessoal qualificado e habilitado, seja decorrente da resistência e contrariedades perceptíveis no amplo espectro da questão étnico-racial na educação estamos muito longe do que é necessário, em termos de formulação de conteúdos, adequações curriculares e produção de material didático.
O que determinam as leis? A Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, em seu artigo 26 A, acrescido pela Lei nº 10.639/03, determina, nos estabelecimentos de ensino fundamental e médio, a obrigatoriedade do ensino de História e da Cultura Afro-Brasileiras.
O parecer 3/04 do CNE (Conselho Nacional de Educação) estabelece que a relevância do estudo de temas decorrentes da história e cultura afro-brasileiras e africanas não se restringe à população negra, ao contrário, diz respeito a todos e todas, brasileiros e brasileiras, uma vez que devem educar-se como cidadãos atuantes no seio de uma sociedade multicultural e pluriétnica, capazes de construir uma nação democrática.
A Constituição Brasileira, em seu artigo 23, X, enseja a possibilidade de se adotarem políticas públicas para a população negra: é competência comum da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios combater as causas da pobreza e os fatores de marginalização, promovendo a integração social dos setores desfavorecidos.
É fato a ausência de disciplinas e conteúdos referentes à História e Cultura Afro-Brasileira na formação de educadores, seja nas graduações em História, ou mesmo nas licenciaturas e faculdades de formação de professores, apesar de extensa bibliografia sobre os problemas de relações raciais no Brasil e da vultosa produção de conhecimentos a respeito das manifestações do preconceito e da discriminação racial no cotidiano escolar, na composição dos currículos e na definição dos conteúdos, e na formulação dos livros didáticos.
É a demanda recorrente manifestada por educadores(as) insatisfeitos(as) com essa lacuna em sua formação e/ou angustiados(as) autocríticos(as) com relação ao seu despreparo para enfrentar as situações de conflito e de constrangimento com que se deparam no cotidiano escolar – os apelidos e brincadeiras racistas, os estereótipos, as humilhações, que muitas vezes levam ao isolamento ou auto-isolamento de alunos(as), à apatia, ao desinteresse. Pior ainda porque são situações recorrentes estimuladas pela indiferença de educadores(as), que as encobrem ou fingem ignorá-las.
Podemos chamar a atenção para o fato ocorrido na Escola Municipal Pedro Adami, no Distrito de Córrego do Ouro, no município de Macaé, com a professora Maria Cristina Marques, que foi impedida no seu exercício profissional em virtude de uma posição preconceituosa quanto ao trabalho desenvolvido pela profissional sobre a temática em tela.
Nos sistemas educacionais do Brasil, enfrentar a injustiça é um desafio e, mais do que isso, um dos principais objetivos do movimento de resistência e combate ao racismo.
Nosso objetivo é contribuir para fundamentar posturas políticas de educadores e educadoras, de cidadãs e cidadãos, interessados na construção da escola pública, gratuita, democrática e de qualidade para todos(as) os(as) brasileiros(as).
Precisa o Brasil, país multi-étnico, garantir que todos se vejam incluídos, que lhes seja garantido o direito de aprender e de ampliar conhecimentos, sem ser obrigados a negar a si mesmo, ao grupo étnico-racial a que pertencem e a adotar costumes, idéias e comportamentos que lhes são adversos. E estes, certamente, serão indicadores da qualidade da educação que estará sendo oferecida.
Reafirmando a campanha da CNTE: Igualdade se planta na escola e dentro de nós.

Viva 20 de novembro – Dia Nacional da Consciência Negra.


(*) Palestra proferida no Ciep 406 em Barra de São João – Casimiro de Abreu.


Profª Guilhermina Rocha
Especialista em Educação e Historiadora
Presidente do CEPRO
Colunista do Jornal Razão - Rio das Ostras


CEPRO – Centro Cultural de Educação Popular de Rio das Ostras
Um projeto de cidadania, educação e cultura em Rio das Ostras

Avenida das Flores, nº 394 – Bairro Residencial Praia Âncora
Rio das Ostras – RJ
Telefone: (22) 2760-6238 / (22) 9834-7409

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Maltrato Zero





Em outubro de 2009, a Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres (SPM) e a Secretaria-Geral Ibero-americana (SEGIB), com o apoio da Secretaria Nacional da Juventude, vinculada à Secretaria-Geral da Presidência da República, lançaram, no Brasil, uma campanha de sensibilização contra a Violência de Gênero nos países Ibero-americanos chamada de “Maltrato Zero”.

Trata-se de uma campanha destinada aos jovens dos países ibero-americanos para conscientizá-los sobre a igualdade e a violência de gênero.
Pela primeira vez os países Ibero-americanos participam de uma ação conjunta com uma única mensagem em prol da igualdade de gênero. Elaborada pela SEGIB e pela Organização Ibero-Americana da Juventude (OIJ), a iniciativa obedece a uma determinação da XVIII Conferência Ibero-americana de El Salvador, realizada em 2008.
Para a ministra Nilcéa Freire, da SPM, a promoção da igualdade de gênero e o enfrentamento à violência “só será possível com a participação de toda a sociedade, inclusive dos jovens”.
Dirigida a 21 países, a campanha pretende atingir uma população de 150 milhões de jovens.
No sítio eletrônico da campanha é possível acessar spots de rádio, filmetes de televisão, cartazes, dados sobre violência doméstica, depoimentos e manifestos, entre outros. Todo o material foi feito em português e em espanhol.
Para maiores informações acesse http://www.maltratozero.com
Alguns dados pertinentes a violência sofrida pelas mulheres:
• A violência contra a mulher é responsável por índices expressivos de absenteísmo ao trabalho, pelo crescimento da Aids entre a população feminina e pelo baixo aproveitamento escolar de crianças que a presenciam.
• Quase metade das mulheres assassinadas são mortas pelo marido ou namorado, atual ou ex, e pelo menos umas em cada três mulheres apanham, são violentadas ou forçadas a manter relações sexuais em algum momento de sua vida.
• No Brasil, uma mulher é espancada a cada 15 segundos.
• Na Costa Rica, 67% das mulheres com mais de 15 anos já sofreram violência física ou sexual em algum momento de suas vidas.
• No Equador, em cada dez mulheres seis foram vítimas de violência.
• No México, 33% das mulheres com mais de 15 anos já sofreram abuso e violência.
• Na Guatemala, nos últimos sete anos, mais de 3.200 mulheres foram assassinadas, torturadas e mutiladas.

Fontes:
• Organização Mundial de Saúde (OMS)
• Fundação Perseu Abramo
• Central de Atendimento à Mulher - Ligue 180
• Conselho Nacional da Mulher (CONAMU) do Equador
• Instituto Nacional de Saúde Pública do México

Nós do CEPRO – Centro Cultural de Educação Popular de Rio das Ostras – somos extremamente contrários a qualquer tipo de violência, seja ela física ou psicológica. E, principalmente, a violência contra a mulher. Tal questão é de suma importância para nossa entidade, que recentemente tivemos a presença da deputada estadual fluminense e presidente da Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher, Inês Pandeló, participando da 2ª edição de nosso Projeto “Para não dizer que não falamos de flores”, em comemoração aos 3 anos da Lei Maria da Penha.

CEPRO – Centro Cultural de Educação Popular de Rio das Ostras
Um projeto de cidadania, educação e cultura em Rio das Ostras


Avenida das Flores, nº 394 – Bairro Residencial Praia Âncora
Rio das Ostras – RJ
Telefone: (22) 2760-6238 / (22) 9834-7409

terça-feira, 17 de novembro de 2009

E tudo começou com a luta do Betinho!










Brasil é primeiro colocado em ranking internacional de combate à fome


A organização não governamental (ONG) Action Aid Internacional concedeu neste último dia 16 de novembro, segunda-feira, um prêmio ao Brasil pelos esforços no combate à fome. Segundo um ranking organizado pela entidade, o país teve o melhor desempenho na redução do problema, seguido pela China e Índia.
Segundo o diretor internacional da Action Aid, Adriano Campolina, o principal motivo para que o Brasil seja o líder do ranking foi o fato de 10 milhões de pessoas terem saído da pobreza extrema nos últimos anos. De acordo com ele, o Brasil conseguiu a redução combinando o crescimento econômico com políticas de combate à pobreza e agricultura familiar.
Para o diretor da entidade, "a fome é um fenômeno muito complexo, você não consegue acabar com ela imediatamente. Mas a redução do Brasil foi extremamente substancial, não só rápida como sustentada. Foram políticas coordenadas que deram ênfase à transferência de renda e ao mesmo tempo à agricultura familiar e à produção sustentável".
Foi iniciado nesta segunda-feira, dia 16 de novembro, em Roma, a Cúpula Mundial de Segurança Alimentar, promovida pela Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO). O presidente Luiz Inácio Lula da Silva é um dos principais líderes mundiais convidados a participar da cúpula. Lula e outros chefes de Estado participaram do evento, que vai até o dia 18 de novembro. Na abertura do evento foram apresentadas as experiências brasileiras que conseguiram reduzir a subnutrição no país como o Bolsa Família, o Fome Zero e o Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae).
De acordo com o secretário-geral da FAO, Jacques Diouf, a crise alimentar atinge um sexto de população mundial e configura-se em uma grande ameaça à segurança e à paz mundial. Para ele, a comunidade internacional precisa chegar a um consenso pleno quanto à eliminação rápida e total da fome no mundo.
Segundo o novo relatório da FAO, a situação quanto à segurança alimentar em 2009 é grave e o número de pessoas que passam fome e sofrem com a desnutrição chegará a 1,2 bilhão, um novo e triste recorde desde 1970.
Parabéns ao governo Lula e suas importantes ações na busca pela redução e consequente eliminação da fome no país. E tudo começou com a luta do Betinho!


CEPRO – Centro Cultural de Educação Popular de Rio das Ostras
Um projeto de cidadania, educação e cultura em Rio das Ostras


Avenida das Flores, nº 394 – Bairro Residencial Praia Âncora
Rio das Ostras – RJ
Telefone: (22) 2760-6238 / (22) 9834-7409
E-mail: cepro.rj@gmail.com
Twitter: http://www.twitter.com/CEPRO_RJ

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

"Para não dizer que não falamos de flores"








O CEPRO - Centro Cultural de Educação Popular de Rio das Ostras – realizou no último dia 15 de novembro, em sua sede no bairro Âncora, o Projeto "Para não dizer que não falamos de flores", comemorando os 3 anos da Lei Maria da Penha.

O evento, iniciado por um belo Café da Manhã, contou com as presenças de representantes da Casa da Mulher de Rio das Ostras, da ARTI (Associação Riostrense de Trabalhadores Informais), alunas do Serviço Social do Pólo Universitário de Rio das Ostras (PURO) da Universidade Federal Fluminense (UFF) e muitos outros, que são importantes parceiros de nossa ação social, como o Jornal Razão.
O projeto "Para não dizer que não falamos de flores", em sua segunda edição, contou com uma presença ilustre, não apenas pela importância de seu cargo, mas pela relevância de suas ações no combate à discriminação e aos maus tratos que diversas mulheres sofrem por seus maridos, companheiros e por outros membros da sociedade. A deputada estadual e presidente da Comissão da Defesa dos Direitos da Mulher da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (ALERJ): Inês Pandeló.
Agradecemos também as colaborações que recebemos, que permitiram que pudéssemos montar esse importante e bonito evento.
• Jornal Razão.
• Entre Tendas.
• Padaria Costa Azul.
• Padaria Marimar.
• Sacolão do Paulinho.
A bela manhã de sol foi acompanhada pelo som do cantor Julio Voz da Raça, que apresentou canções de nossa riquíssima MPB.
Para quem quiser entrar em contato com o artista, ligue para o telefone (22) 9928-9945.
No entanto, as presenças mais importantes foram da comunidade, que participou com suas perguntas e opiniões sobre a Lei Maria da Penha e sua importância para a sociedade.
Para mais fotos do evento, acesse o Perfil do CEPRO no Orkut em

CEPRO – Centro Cultural de Educação Popular de Rio das Ostras
Um projeto de cidadania, educação e cultura em Rio das Ostras

Avenida das Flores, nº 394 – Bairro Residencial Praia Âncora
Rio das Ostras – RJ
Telefone: (22) 2760-6238 / (22) 9834-7409